Despertador online

Você ainda está naquela era dos despertadores de cabeceira, que utilizam pilhas ou baterias que normalmente não duram muito tempo? Chega de sofrer com essas coisas antiquadas! Você pode contar com o nosso despertador on line, que funciona de maneira simples e fácil!

Venha conhecer melhor esse processo e descobrir por que esse é o sistema mais adequado para as suas necessidades!




Utilize também o Temporizador online

Usando o despertador online

Defina a hora, minuto e o segundo do despertador online e clique em “ATIVAR ALARME”; o tom do alarme será ajustado automaticamente pelo despertador. É simples assim! No horário definido, o alarme será iniciado e o toque selecionado pelo despertador tocará.

Atenção: o despertador on line não funciona se você fechar o navegador ou desligar o computador, mas pode ser usado sem uma conexão à internet.

Funcionalidades do Sistema

Um dos recursos é o de poder parar o despertador a qualquer horário, interrompendo definitivamente o processo. Para isso, você deve clicar em “DESATIVAR”. Para retomar o processo, você deve deve configurar novamente o horário e clicar em “ATIVAR ALARME”.


Então, sabendo que o nosso despertador on line é o mais simples e eficiente e que já está ajustado de acordo com a Horário de Brasília , só falta agora salvá-lo em seus favoritos e começar a utilizar! Esperamos que tenha uma excelente experiência com ele!

Despertador online

Círio de Nazaré

O Círio de Nazaré, uma das maiores festas religiosas comemoradas no Brasil em honra de Nossa Senhora de Nazaré, é uma data comemorativa do calendário do Estado do Pará e acontece na cidade de Belém.

Essa é uma tradição católica que já dura mais de dois séculos em prol do amor e devoção que as pessoas costumam ter com a Mãe de Jesus.

Veja o calendário do Pará

Círio de Nazaré
Círio de Nazaré
Por isso não somente os católicos, mas também todas as pessoas que admiram e amam a Mãe do Senhor a comemoram com imenso amor e carinho.

Para você que está a busca de maiores informações sobre o Círio de Nazaré a fim de programar uma viagem, fazer algum trabalho ou qualquer finalidade que seja, nossa equipe buscou as melhores informações para lhe apresentar.

A lenda de Nazaré

Essa lenda nos explica como nasceu a devoção a Nossa Senhora de Nazaré e dá pistas de por que surgiu a celebração do Círio de Nazaré na cidade de Belém, no Pará.

A lenda da Nazaré conta que, no início da manhã de 14 de setembro de 1182, Dom Fuas Roupinho alcalde do Porto de Mós, Portugal, estava caçando em seu domínio, perto da costa, quando viu um cervo que imediatamente começou a perseguir.

De repente, uma névoa pesada subiu do mar. O cervo correu para o topo de um penhasco e Dom Fuas no meio do nevoeiro se perdeu de seus companheiros.

Quando ele percebeu que estava na beira do penhasco, reconheceu o lugar. Ele estava ao lado de uma pequena gruta onde uma estátua de Nossa Senhora com o Enfant era venerada.

Assim ele orou em voz alta Nossa Senhora, suplicando: “Me ajude”. De repente, o cavalo miraculosamente parou no final de um ponto rochoso suspenso sobre o vazio, o Bico do Milagre, salvando assim o cavaleiro e sua montaria de uma queda de mais de 100 metros, uma queda que certamente teria causado sua morte.

Dom Fuas desmontou e desceu à gruta para rezar e agradecer pelo milagre. Então ordenou a seus companheiros que trouxessem maçons para construir uma pequena capela sobre a gruta, para que a imagem milagrosa pudesse ser facilmente venerada por todos e como um memorial ao milagre que a salvou.

Então, antes de murchar a gruta, os maçons destruíram o altar existente, onde entre as pedras encontraram um baú de marfim contendo algumas relíquias e um velho pergaminho descrevendo a história da pequena estátua de madeira, uma palma alta, de Nossa Senhora sentada amamentando o bebê Jesus, este sentado sua perna esquerda.

Veja mais datas comemorativas do calendário outubro

Como a imagem chegou até Dom Fuas

Segundo o pergaminho, a estátua deve ter sido venerada desde o início do cristianismo em Nazaré, na Palestina. Foi resgatado dos iconoclastas no quinto século pelo monge Ciriaco.

Foi ele quem a trouxe para a Ibéria, para o mosteiro de Cauliniana, perto de Mérida, onde permaneceu até 711, ano da batalha de Guadarete, quando as forças cristãs foram derrotadas pelo exército invasor mourisco vindo do norte da África.

Quando as notícias da derrota chegaram a Mérida, os frades de Cauliniana se prepararam para deixar seu mosteiro. Enquanto isso, o rei derrotado, Roderic, conseguiu fugir sozinho do campo de batalha e disfarçado de mendigo pediu anonimamente abrigo no mosteiro.

Quando ele pediu a um dos frades, Frei Romano, para ouvi-lo em confissão, ele teve que dizer quem ele realmente era. Então o frade sugeriu que fugissem levando consigo uma antiga e santa imagem de Maria com o Enfant venerado no mosteiro.

Assim, a estátua de Nossa Senhora da Nazaré, que recebeu o nome da aldeia na Terra Santa, onde foi venerada pela primeira vez, foi trazida pelo frade Romano e pelo rei Roderic para a costa do Atlântico.

Quando chegaram ao seu destino, instalaram-se numa ermida vazia no topo de uma colina rochosa, o Monte de S. Bartolomeu, e lá ficaram por alguns dias.

Eles então decidiram separar-se e viver sozinhos como eremitas. O frade pegou a imagem e instalou-se numa pequena gruta, à beira de um penhasco sobre o mar, junto à colina onde o rei continuava vivo.

Um ano se passou e Roderic decidiu deixar a região. Frei Romano ficou em sua ermida acima do mar até a morte.

A estátua sagrada, uma Senhora Negra, permaneceu no altar onde a deixou até 1182, quando Dom Fuas, após o milagre, a transferiu para a capela construída sobre a gruta como um memorial ao evento que salvou sua vida.

Assim, a capela ainda existente recebeu o nome de Capela da Memória.

Daí em diante já sabemos qual o resultado de tal atividade, pois daí surgiu a grande devoção que o povo paraense tem e demonstra nas celebrações do Círio de Nazaré!

Dia de São Jorge

O Dia de São Jorge, comemorado universalmente no dia 23 de abril, é um dos mais comemorados pelas pessoas fieis, que acreditam no poder de proteção e intercessão dos santos.

E nesse termo de fé e crença popular nos referimos não somente ao catolicismo, mas também às religiões de matriz africana, que o veem como uma de suas entidades, como por exemplo a Umbanda, que o invoca sob o termo de Ogum.

Dia de São Jorge
Dia de São Jorge
Portanto, o Dia de São Jorge não pertence somente a uma nação ou religião: trata-se de uma devoção popular que ultrapassa os limites geográficos e religiosos.

Para mais informações sobre essa data comemorativa, tão importante para os povos do mundo inteiro e de particular significado para os habitantes do Rio de Janeiro, fique aqui com a gente! Nossa equipe preparou uma explanação sobre o tema para que você tire todas as suas dúvidas e alimente sua devoção.

Veja também o calendário do Rio Janeiro

Devoção vinda de Portugal

O Dia de São Jorge é comemorado com muito amor em Portugal porque o país nutre especial devoção pelo santo, que é o grande Padroeiro de toda a nação. E foi das terras portuguesas que essa devoção chegou até o Brasil, ainda no período da colonização.

Com uma cultura religiosa já enraizada e profunda fé de que São Jorge provia a segurança dos navegantes em busca da descoberta de novas terras, os portugueses passaram adiante a ideia de que bastava recorrer ao santo para que nenhum mal acometesse as pessoas devotas.

Leia também dia de São Tiago e o Dia de São Pedro

Além de Portugal, também a Inglaterra possui forte devoção com o santo, tendo-o como seu Padroeiro. Assim como a Turquia, onde fica a Capadócia, cidade onde São Jorge nasceu, exerceu o ofício de soldado e sofreu o martírio.

No Rio de Janeiro também é comemorado com muito fervor, embora ele não seja o Padroeiro do Estado. Tanto que o governo do Estado proclamou o dia 23 de abril como feriado estadual, a fim de que as pessoas tenham a oportunidade de comemorar com todo o zelo e responsabilidade.

Quem foi São Jorge?

São Jorge era um soldado grego das origens da Capadócia, membro da Guarda Pretoriana do imperador romano Diocleciano, que foi condenado à morte por se recusar a negar sua Fé cristã.

Ele se tornou um dos mais venerados santos e Megalo-mártires do Cristianismo, e ele foi especialmente venerado como um santo militar desde as Cruzadas.

Na hagiografia, como um dos Quatorze Santos Auxiliares e um dos mais proeminentes santos militares, ele é imortalizado na lenda de São Jorge e o Dragão.

Seu memorial, o Dia de São Jorge, é tradicionalmente celebrado em 23 de abril, data de muita felicidade e celebrações por todas os fiéis do santo.

Um pouco de história... São Jorge e o dragão

A lenda de São Jorge e o Dragão foi registrada pela primeira vez no século 11, em uma fonte georgiana. Chegou à Europa no século XII. Na Lenda de Ouro, pelo arcebispo de Gênova, Jacobus da Varagine, do século XIII , a morte de George estava nas mãos de Dacian e do ano de 287.

A tradição conta que um dragão feroz estava causando pânico na cidade de Silene, na Líbia. Na época, o São Jorge chegou lá.

A fim de evitar que o dragão devastasse as pessoas da cidade, eles davam duas ovelhas a cada dia para o dragão, mas quando as ovelhas não eram suficientes, eram forçadas a sacrificar humanos em vez das duas ovelhas.

O ser humano a ser sacrificado era eleito pelo próprio povo da cidade e naquela época a filha do rei foi escolhida para ser sacrificada, mas ninguém estava disposto a ocupar o seu lugar. São Jorge salvou a menina matando o dragão com uma lança.

O rei ficou tão grato que lhe ofereceu tesouros como recompensa por salvar a vida de sua filha, mas São Jorge recusou e, em vez disso, deu-os aos pobres. As pessoas da cidade ficaram tão impressionadas com o que testemunharam que se tornaram cristãs e foram todas batizadas.

Nesse dia, desejamos o aquecimento de sua fé e a busca por todas as coisas que sejam de fato gratificantes. E que São Jorge interceda por cada um de nós!

Símbolos

O símbolo mais reconhecido é a cruz de São Jorge. Esta é uma cruz vermelha sobre um fundo branco, que geralmente é exibido como uma bandeira.

E para se ter uma ideia do quanto essa devoção é forte em todo o mundo, ela é usada como bandeira nacional da Inglaterra, fazendo parte da bandeira da União, a bandeira nacional do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte.

A cruz de São Jorge era originalmente a bandeira da República marítima de Gênova. Por volta de 1190, o rei da Inglaterra começou a pagar o Doge de Gênova para proteger navios originalmente da cidade de Londres e do resto da Inglaterra que navegava no Mediterrâneo.

Durante as cruzadas nos anos 1100 e 1200, os cavaleiros ingleses usaram a cruz de São Jorge como parte de seu uniforme. É a bandeira oficial da Inglaterra há séculos, mas a bandeira da União, uma combinação da cruz de São Jorge, da cruz de Santo André e da cruz de São Patrício, é a bandeira nacional do Reino Unido.

Agora, a cruz de São Jorge é usada como símbolo nacional pelos torcedores das equipes inglesas de futebol, rúgbi e críquete. Em partidas internacionais, bandeiras e lenços com essa cruz são usados ​​e as pessoas pintam em seus rostos.

E também tem um lugar de destaque nas armas da cidade de Londres e as bandeiras da cidade de Barcelona, ​​na Espanha e no país da Geórgia.

Nesse Dia de São Jorge damos honras ao santo, que é tão reconhecido e amado pelas pessoas que buscam mais bênçãos e graças de Deus.

Descobrimento do Brasil

O Descobrimento do Brasil foi um evento de grande importância para toda a humanidade, pois ali tinha início a história (ou ao menos a manifestação) de um povo que se tornaria um dos mais conhecidos e admirados por diversos motivos (antagônicos, às vezes bons ou ruins) e constituiria uma das maiores nações do planeta.

Descobrimento do Brasil
Descobrimento do Brasil
É claro que falar sobre o “Descobrimento do Brasil” nos impõe a necessidade de refletir até onde efetivamente esse fato ocorreu como um descobrimento ou simplesmente como uma tomada de posse, já que haviam moradores (os índios), legítimos donos das terras, que foram suprimidos e tiveram saqueados os seus bens, além de paulatinamente começarem a perder o seu espaço natural, o seu habitat.

Nessa postagem, vamos lhe falar sobre esse evento histórico e de que maneira ele impactou a sociedade mundial desde o início da história e até os dias atuais.

Um pouco sobre os fatos que levaram ao Descobrimento do Brasil

Era 22 de abril de 1500 quando os colonizadores portugueses chegaram ao litoral brasileiro à bisca de conhecer novas terras a fim de se apossar delas.

Segundo a história, sua partida de Portugal se deu em direção às Índias, mas por um erro em sua trajetória, as embarcações terminaram chegando às terras brasileiras.

A ideia era estabelecer novas relações comerciais nas Índias, mas ao chegar ao Brasil e se deparar com tamanhas riquezas naturais os portugueses decidiram se empenhar na busca por conhecer melhor o local.

Logo descobriram a cana-de-açúcar e o pau-brasil, produtos que lhes foram caros aos interesses e motivaram a investida em se apossar da terra.

Ver também o Dia do Índio

Os colonizadores e os povos indígenas

Relatos da época do Descobrimento do Brasil indicam que no princípio os índios e os portugueses se deram bem, chegando mesmo a trabalharem juntos para descobrir tudo o que a colônia poderia proporcionar em termos de lucros para a Coroa Portuguesa.

Mas à medida que o tempo foi passando e a busca por lucratividade se tornou ainda mais acirrada, os portugueses decidiram usar os índios como mão de obra barata, sendo no entanto mal sucedidos devido ao despreparo dos indígenas para o serviço pesado.

Daí surgiu então a ideia de se trazer os escravos da África, pois esses eram acostumados a todo tipo de trabalho pesado e estavam aptos a desenvolver as funções que os portugueses se negavam a fazer.

Mas os infortúnios dos índios não pararam por aí. Infelizmente eles continuaram sendo explorados pelos portugueses e viram sua cultura ser massacrada pelos costumes europeus, que incutiram na colônia a fé católica, por meio dos missionários jesuítas, que acabaram destruindo quaisquer outros tipos de manifestação religiosa.

Mas de outra parte, mais adiante surgiram os missionários evangélicos, vindos especialmente da América do Norte, que fizeram um contraponto à fé católica, e instituíram uma nova vertente de fé ao país.

Saiba mais sobre o Dia do Evangélico e o Dia do Católico

Mas é fato que desde o Descobrimento do Brasil outras culturas religiosas foram suprimidas em detrimento ao cristianismo em todo o Brasil. E as “fronteiras” do país foram abertas para religiões de outras denominações somente muito tempo depois, já no século XX da nossa história.

Comemorações pelo Descobrimento do Brasil em todos os cantos do país

As comemorações do Descobrimento do Brasil se estendem por todos os lugares do Brasil e são vistas com bons olhos por toda a sociedade, que sabe diferenciar a Pátria amada de todos os escândalos de corrupção que ultimamente temos acompanhado.

Assim, nas escolas, quarteis das forças armadas e diversas outras entidades da sociedade civil esse dia é comemorado com enorme carinho e consciência cívica, sempre de acordo com a possibilidade de cada um de prestar suas homenagens.

Nesse dia 22 de abril, em que comemoramos em nosso calendário o Descobrimento do Brasil, preste justas homenagens ao nosso amado país e dê sua parcela de contribuição para que ele seja um local cada vez mais justo e solidário para se viver.

Tiradentes - Quem foi esse “Herói”?

O calendário de datas comemorativas do Brasil é bastante vasto e muitos “heróis” da pátria são lembrados nele. É o caso de Tiradentes, cuja memória recordamos no dia 21 de abril, anualmente.

Esse é um dos nomes que fazemos questão de recordar quando falamos sobre a história do Brasil porque trata-se de uma das mais emblemáticas figuras em relação a esse tema; um homem que possuía excelentes relações sociais, boa influência política, bons amigos e severos inimigos.

Tiradentes
Tiradentes - Quem foi esse “Herói”?
Para saber mais sobre o dia de Tiradentes e sua importância para a história do Brasil, aqui temos uma excelente explanação sobre o assunto.

Veja mais datas comemorativas o calendário de abril

Quem foi esse “Herói”?

Tiradentes era um “apelido” de Joaquim José da Silva Xavier, um dentista que se tornou bastante conhecido na história por participar da Inconfidência Mineira (1789), um movimento que tinha como objetivo emancipar a capitania de Minas Gerais da Coroa Portuguesa.

Veja também o Calendário Minas Gerais

Essa revolução teve cunho social e político, além da ideologia de libertação que fora incutida na cabeça das pessoas.

O problema central a ser combatido foi a cobrança de altíssimos impostos, cobrados por Portugal, que estavam sacrificando as pessoas da Capitania de Minas Gerais.

A situação já vinha ruim há muito tempo, mas tornou-se completamente insustentável no ciclo do ouro, quando a cobrança de impostos pesou ainda mais devido à extração do metal.

Como um dos líderes do movimento, Tiradentes obteve bastante destaque nesse movimento, tornado-se um ícone dessa batalha.

Mas as pessoas não ficaram a favor do movimento

O movimento da Inconfidência Mineira, embora falasse por toda a sociedade da Capitania de Minas Gerais, não era de conhecimento de toda a população, mas somente da elite que se insurgia contra a atuação de Portugal em toda a Colônia do Brasil.

Os rebeldes, dispostos a dar um golpe no dia da cobrança de impostos, foram descobertos e presos pelos militares portugueses.

A população não tinha conhecimento do ocorrido e acabou ficando contra os inconfidentes, que foram punidos com os rigores da lei.

É claro que houveram várias pessoas que ficaram a favor da revolta, mas não puderam se manifestar publicamente porque precisariam estar também dispostas a enfrentar a fúria a Coroa Portuguesa, que cada vez se mostrava mais intolerante com a atuação de rebeldes que afrontavam o Reino.

Sua História e a Perseguição Sofrida

Ele era um cidadão comum, que vivia e trabalhava na Capitania de Minas Gerais. Entretanto, era um homem politizado, letrado e conhecedor das leis.

Devido ao seu alto grau de inteligência, ele sempre se mostrava receoso com a situação política do Brasil. Assim, diante de um quadro econômico ruim, ele e alguns companheiros decidiram lutar por melhores condições de vida, enfrentando os guardas portugueses que faziam a segurança da Capitania.

Infelizmente a história de Tiradentes terminou de maneira trágica, pois seus ideais de liberdade não agradavam a Coroa Portuguesa. Como forma de silenciá-lo e dispersar o movimento, os guardas portugueses, a mando do Rei, o enforcaram e esquartejaram em praça pública no dia 21 de abril de 1792.

Isso se deu logo depois de a Coroa descobrir os planos dos insurgentes, conforme falamos anteriormente. Para conter a ação articulada, Tiradentes foi punido de maneira exemplar, o que de fato amedrontou os companheiros que permaneceram livres, pois estes recuaram e não mais incomodaram o Governo de Portugal.

A relação entre a Inconfidência Mineira e o processo de Independência do Brasil

Não existem relações diretas entre a Inconfidência Mineira e a Independência do Brasil, mas indiretamente houveram muitas ligações entre um e outro movimento.

Os inconfidentes foram uma espécie de exemplo de pessoas que ousaram enfrentar Portugal em nome de sua liberdade. E isso é algo tão significativo que os mesmos ideais foram abraçados pelos rebeldes que queriam a liberdade do Brasil e decidiram lutar.

Sabedores de que os inconfidentes mineiros tentaram e não obtiveram êxito em sua luta, os defensores da independência corrigiram alguns erros que foram cometidos na batalha que se deu na Capitania de Minas Gerais e então conseguiram a tão sonhada liberdade.

Em suma, todas as ações dos inconfidentes mineiros tiveram íntima relação com os eventos da Independência do Brasil, embora um não tenha sido resultante do outro e suas motivações não tenham sido exatamente as mesmas.

Por isso podemos dizer que, ainda que indiretamente, Tiradentes também foi um dos nomes relacionados ao processo de Independência do Brasil, o que dá a ele relevante significado para toda a nossa história, justificando ainda mais a instauração dessa data comemorativa.

Herói Nacional, Patrono Cívico do Brasil e Patrono das Polícias Militares e Polícias Civis

Dada a sua bravura e ímpeto em lutar pela Pátria, pagando com a própria vida os seus atos, Tiradentes alcançou o reconhecimento de seus esforços e o respeito de todo o povo brasileiro, motivo pelo qual passou a ser tratado como um herói nacional e Patrono Cívico do Brasil.

Além disso, em reconhecimento à sua coragem, foi intitulado Patrono das Polícias Militares e Polícias Civis dos Estados.

Em homenagem a ele, o dia 21 de abril (dia de sua morte) tornou-se feriado nacional por força da Lei Federal 4.897/ 1965.

Nesse dia de Tiradentes, que nossa consciência cívica tenha um grande despertar e que aprendamos com ele a lutar por nossos ideais e pela nossa Pátria!

Dia do Índio

O Brasil é um país multicultural, com povos oriundos dos mais diversos nichos. Dentre estes estão os povos indígenas, que se tornaram dignos de ter o Dia do Índio como uma homenagem apropriada à grandeza de sua importância para a sociedade brasileira.

Conheça mais sobre essa data de máxima relevância para os brasileiros nativos, que já vivam em nossas terras antes mesmo de elas serem “descobertas” pelos navegantes portugueses.

Dia do Índio
Dia do Índio

A comemoração do Dia do Índio

Todos os anos, no dia 19 de abril, o povo indígena do Brasil, e todos os brasileiros que reconhecem a importância dos povos indígenas para nossa cultura, celebra o Dia do Índio. Este dia comemorativo foi criado em 1943 pelo Presidente Getúlio Vargas e decretado por lei, o instrumento registrado sob o número 5540.

A partir de então com muita alegria a sociedade brasileira comemora esse dia anualmente, refletindo sobre todas as contribuições dadas pelos índios para a formação de nossa identidade como povo brasileiro.

Historicidade do Dia do Índio

A história do Dia do Índio começa em 1940, ano em que ocorreu o Primeiro Congresso Indígena Internacional na cidade de Patzcuaro, no México. Esta convenção, composta por representantes de vários países da América do Sul, foi concebida para discutir formas de proteger os direitos indígenas em todo o continente.

Vários líderes indígenas foram convidados para o evento. Embora inicialmente não tenham aceitado o convite por causa de uma certa desconfiança, no final participaram efetivamente da reunião, dando importantes contribuições para o debate acerca de todos os pontos que compunham esse tema.

Veja também o Descobrimento do Brasil

A participação de vários líderes indígenas, após entenderem a importância desse momento histórico, ocorreu no dia 19 de abril, que mais tarde foi escolhido no Brasil como o Dia do Índio em reconhecimento à importância dessa população para toda a nossa formação cultural.

Embora todos os dias sejam considerados o Dia Indígena para os povos indígenas no Brasil, em 19 de abril anualmente, eles costumam revisitar e refletir sobre sua história colonial, onde se lembram que já habitavam o Brasil antes da chegada dos portugueses em 1500.

A partir desta data eles viram desrespeito e a diminuição de suas populações. Infelizmente, esse processo ainda ocorre, com a mineração e exploração de recursos naturais, onde muitos povos indígenas estão perdendo suas terras.

Confira também o Calendário de Abril

Conscientização sobre a importância do Povo Indígena

A comemoração do Dia do Índio, em 19 de abril, visa conscientizar sobre a importância da população indígena, sua história, a preservação de seu orgulho e a identidade de um povo que não está desistindo da luta.

Por outro lado, como resultado da resiliência à subordinação desde os tempos coloniais, os ancestrais indígenas no Brasil deixaram grandes legados que contribuíram para a cultura brasileira pós-independência, a começar pela influência das palavras na língua portuguesa brasileira, muitas das quais tem origem indígena e influenciou a culinária, a música e o folclore, entre outros exemplos.

O maior evento cultural indígena do mundo

Em todo o mundo há diversos movimentos no sentido de se reconhecer a importância da cultura indígena, mas em nenhum outro local do mundo há uma data tão significativa quanto a do dia 19 de abril, dada a situação emblemática que envolve a instituição dele, conforme vimos anteriormente.

Por isso precisamos valorizar esse dia e fazer comemorações em todos os lugares do país, pois essa é uma das datas mais importantes do nosso calendário de comemorações em todo o ano. Afinal, valorizar as comunidades indígenas é o mesmo que valorizar a nossa história desde as suas origens.

Nesse Dia do Índio, vamos nos unir como nação e valorizar aqueles que foram nossos predecessores na construção de nossa identidade e de nossa cultura enquanto um povo digno de cada sonho projetado desde o início da nossa história.

Dia da Árvore

Como forma de levar as pessoas a refletir a respeito da importância das árvores para o nosso planeta, o calendário de datas comemorativas brasileiro celebra, a cada 21 de setembro, o Dia da Árvore.

Dia da Árvore
Dia da Árvore
Nesse dia muitos ativistas dos direitos da natureza se mobilizam e fazem a defesa das árvores, afirmando que sem elas o nosso ecossistema sofre um grave desequilíbrio e a humanidade sofre as consequências.

Também as escolas costumam utilizar o Dia da Árvore como forma de fazer os trabalhos pedagógicos voltados para a conscientização das crianças e adolescentes quanto à importância das árvores para a sobrevivência e perpetuação da nossa espécie e de todas as formas de vida que existem no planeta.

E é nesse sentido de despertar as consciências, enquanto instruímos sobre o tema, que queremos apresentar essa postagem, como forma de melhor explicar o que é o Dia da Árvore e por que devemos comemorá-lo com imenso amor e carinho.

Veja mais datas do calendário de setembro

A necessidade da proteção do meio ambiente

A proteção do meio ambiente é uma das grandes bandeiras levantadas pelos ativistas que comemoram o Dia da Árvore e isso nos remete a uma reflexão bastante importante sobre o tema.

Já que de fato estamos diante de um quadro preocupante em relação à destruição do meio ambiente devido a diversos outros interesses, na maioria das vezes econômicos, como por exemplo o desmatamento para se proceder os trabalhos da agricultura.

E quando chamamos a atenção para a necessidade de proteção do meio ambiente estamos levantando uma bandeira de vida e não de guerra, como normalmente as pessoas costumam entender. Pois a ideia não é agredir os outros e nem atrapalhar as suas negociações.

O ideal que o Dia da Árvore propõe é que tenhamos a capacidade de raciocinar e perceber que não adianta lucrar com a destruição do meio ambiente e depois não termos condições de viver em um planeta onde não teremos sequer oxigênio para respirar.

Portanto, a luta é para que tenhamos a capacidade de evoluir e compreender que a defesa do meio ambiente é uma responsabilidade e uma necessidade de todos nós.

Tanto é assim que esse dia não é uma data comemorativa somente no Brasil, mas também em diversos outros países do mundo, que veem a necessidade de celebrá-la para conscientizar os seus sobre a nossa obrigação de proteger as árvores, sob pena de destruirmos a nossa própria espécie.

A importância das árvores

Não é difícil citarmos a importância das árvores para a humanidade e assim explicar por que o Dia da Árvore é comemorado com tamanho carinho no Brasil e em muitos outros lugares do mundo.

Dentre os diversos motivos, gostaríamos de citar os seguintes:
  • Contribuem para a beleza das paisagens na cidade ou nas áreas eminentemente naturais;

  • Contribuem para a biodiversidade;

  • Em grandes cidades, reduzem a temperatura e fornecem sombras, sendo um grande alívio em dias de calor intenso;

  • Delas podemos extrair flores e frutos que servem para alimentação, produção de remédios, entre outras atividades;

  • Oferecem abrigo para outras espécies, como animais e fungos, além de serem a principal fonte de alimentação para diversos animais da nossa fauna;

  • Reduzem a poluição do ar à medida em que colaboram para a produção do ar (oxigênio) limpo.
Por tudo isso e muito mais é que nos unimos aos ativistas que lutam pelos direitos da natureza e conclamamos mais respeito às árvores, pois estas são responsáveis por nos dar mais vida e saúde.

Uma história de lutas

Em todos os lugares onde é comemorado há uma intensa história de lutas em favor da natureza. No Brasil, por exemplo, há uma batalha de anos contra o desmatamento da Amazônia, do Cerrado e de diversos outros biomas que possuímos em nosso território.

Veja também o calendário da Amazônia

E a ideia é sempre a mesma: proteger a natureza como forma de proteger a própria humanidade de um processo de autodestruição.

Nesse Dia estamos unidos às vozes que pedem pela preservação da natureza e esperamos que as autoridades sejam sensíveis a isso e ajudem a população em sua luta por mais saúde e qualidade de vida.

Outras datas comemorativas

Aniversário de Tocantins

Anualmente, no dia 05 de outubro, os tocantinenses têm a grata satisfação de comemorar o aniversário do Tocantins, uma data comemorativa bastante relevante para a população do Estado, que se encontra em festa pela memória de um feito de tamanha importância para a sociedade.

Aniversário de Tocantins
Aniversário de Tocantins
O sonho de se tornar um estado independente nasceu o coração da população da região Norte de Goiás devido aos escassos investimentos que o Governo do Estado vinha fazendo em seu favor, já que devido à extensão territorial do estado não lhe era de fato possível fazer investimentos maciços em todas as regiões.

E a que normalmente ficava mais penalizada era exatamente a região Norte (hoje pertencente ao Estado de Tocantins) que ficava mais distante da capital, Goiânia.

Saiba mais sobre o calendário de tocantins

Saiba mais sobre o aniversário de Tocantins acompanhando todo o apanhado que nossa equipe fez sobre o assunto!

Sobre o Estado do Tocantins

Para celebrar com muito amor o Aniversário de Tocantins queremos apresentar alguns dados sobre a região, para que você compreenda o quão importante ele é dentro do cenário nacional.

O Estado do Tocantins é o mais novo dos estados brasileiros, formado em 1988 e abrangendo o que antes eram os dois quintos do norte do estado de Goiás. Tocantins cobre 277.620,91 quilômetros quadrados e tem uma população superior a 1.500.000 (um milhão e quinhentos mil) habitantes.

Mesmo sua criação se dando oficialmente em outubro de 1988, a construção da sua capital, a cidade de Palmas, começou em 1989; a maioria das outras cidades do estado data do período colonial português.

Com exceção de Araguaína, existem poucas outras cidades com uma população significativa no estado. O governo investiu em uma nova capital, uma grande represa hidrelétrica, ferrovias e infraestrutura relacionada para desenvolver essa área, principalmente agrícola.

O Tocantins atraiu centenas de milhares de novos moradores, principalmente para Palmas. Está construindo seus recursos hidrelétricos. Os rios Araguaia e Tocantins drenam a maior bacia hidrográfica que fica inteiramente dentro do território brasileiro.

O Rio Tocantins foi represado pela energia hidrelétrica, criando um grande reservatório que se tornou um centro de recreação.

Por estar na zona central do país, o Tocantins possui características da Bacia Amazonica, e também pastos semiabertos, conhecidos como cerrado.

A Ilha do Bananal, no sudoeste do Estado, é a maior ilha fluvial do mundo. Tocantins também abriga o Parque Nacional do Araguaia, as reservas indígenas de Carajás e o Parque Estadual do Jalapão, que fica a cerca de 250 km de Palmas. Lá, os rios criam um oásis na paisagem seca, atraindo muitos ecoturistas para a região.

Portanto, nesse Aniversário do Tocantins, queremos também chamar a atenção para o polo turístico que o Estado se tornou, atraindo pessoas de diversos lugares do Brasil para conhecer aquilo que ele tem de melhor.

Os eventos que levaram à criação do Estado de Tocantins

Foi em 1821 que tiveram início os movimentos separatistas promovidos pelo governo autônomo do Tocantins, influenciado pelas batalhas em prol da independência do Brasil. Mas esse movimento não obteve sucesso, permanecendo essa região sob os domínios de Goiás.

Em 1920, quase 100 anos depois, novamente surgiram os rumores de um movimento de separação, buscando maior independência dentro do país, mas novamente não foi possível consolidar o sonho que tomava conta de parte da população.

E foi na década de 60 que a ideia voltou à tona, dessa vez para ficar. Sob a égide da construção de Brasília, os movimentos separatistas ganharam força e então se tornou inevitável tal situação. Foram iniciados diversos debates e reuniões para estudar a viabilidade de tal projeto.

Entretanto, o Governo de Goiás se opunha a isso, afirmando que seria uma perda para o estado essa separação. Mas os argumentos dos separatistas foram mais fortes e convenceram as elites da política nacional, fazendo com que a independência do Tocantins se desse com o advento da Constituição Federal de 1988.

É por esse motivo que o Aniversário de Tocantins se dá em 05 de outubro, data da promulgação da Constituição.

No Aniversário do Tocantins temos a data comemorativa de um estado que é uma das grandes preciosidades da Região Norte e de todo o Brasil! Por isso nos unimos aos nossos compatriotas tocantinenses para a mais bela celebração desse dia!

Salve o Estado do Tocantins e todo o povo tocantinense!

Proclamação da República Rio Grandense

Todos os anos, no dia 20 de setembro, os habitantes do Rio Grande do Sul têm a alegria de comemorar a memória da Proclamação da República Rio Grandense, um momento histórico em que os sonhos de se apartar do Brasil pareciam ser reais.

Nesse artigo, conheça mais a respeito desse tema e fique por dentro de todas as novidades.

Proclamação da República Rio Grandense
Proclamação da República Rio Grandense

A história da Proclamação da República Rio Grandense

A República Rio Grandense, muitas vezes chamada de República Piratini, foi um estado de fato que se separou do Império do Brasil, coincidindo aproximadamente com o atual estado do Rio Grande do Sul.

Foi proclamada em 11 de setembro de 1836 pelo General Antônio de Sousa Neto, como consequência direta da vitória obtida pelas forças oligárquicas gaúchas na Batalha de Seival (1836), durante a Revolução Farroupilha (1835 - 1845). Tinha uma constituição adotada em 1843 e foi reconhecida apenas pela Grã-Bretanha, França e Uruguai.

A esmagadora maioria do mundo não via com bons olhos o movimento separatista, pois o enxergava como um golpe contra a nação e por isso a República Rio Grandense nunca encontrou tanto respaldo para suas atividades.

Como aconteceu a Proclamação da República Rio Grandense

A economia da então Província de São Pedro do Rio Grande do Sul do Império do Brasil concentrava-se principalmente na produção de charque e ouro.

A província dependia inteiramente do mercado interno, mas a taxa de câmbio sobrevalorizada e os benefícios tarifários então oferecidos significavam que a carne bovina importada era mais barata.

Assim, os estancieiros da região, entre os então famosos Bento Gonçalves, iniciaram uma rebelião contra o governo imperial.

Depois de uma reunião, foi decidido que milícias armadas seriam formadas dentro da província para assumir o governo sob a liderança de Bento. Eles de fato partiram para a batalha do tudo ou nada e alcançaram adesão de muitas pessoas, o que tornou o grupo forte e consistente.

As lutas foram muitas e os rebeldes obtiveram êxito, motivo pelo qual os ideais separatistas se tornaram cada vez mais fortes. Bento Gonçalves se fortaleceu com a Proclamação da República Rio Grandense e foi aclamado o Presidente.

Você também pode se interessar pelo dia Proclamação da República

Dissolução da República

Até o ano de 1840, podia-se perceber um período de ascensão da Nova República, com várias vitórias no campo militar, sendo esta uma demonstração de força perante a população.

Após este período, é perceptível uma situação de decadência, a começar pela queda de Laguna. Com os imperiais controlando as grandes cidades, os trapos foram retidos no interior e logo começaram as brigas internas que aos poucos levaram a República Rio Grandense ao fracasso.

Bento Gonçalves, ainda no ano de 1840, acenou para o império com a possibilidade de acordo. Bento pediu aos imperiais salvaguardas para que seus camaradas pudessem atravessar impunemente os lugares conquistados pelo império, a fim de acertar com os chefes imperiais os detalhes de uma rendição coletiva dos rebeldes maltrapilhos.

Eles realmente carregavam uma carta desse desenho. Mas havia outra mensagem oral a ser dada a esses líderes, que não poderia ser escrita.

A manobra, no entanto, foi tão bem pensada e executada que enganaria até mesmo seus colegas combatentes, e motivou uma carta de desaprovação escrita por Domingos José de Almeida, então vice-presidente e ministro das Finanças da República Rio Grandense.

A luta continuou em várias frentes. Enquanto isso, uma Assembléia Constituinte foi convocada em 10 de fevereiro de 1840.

Enfrentando conflitos internos, problemas econômicos e militares contra as forças do Império, a República foi forçada a iniciar as negociações de paz.

Em 1845 foi selada a paz e o Rio Grande do Sul novamente se uniu ao Império do Brasil, reconstruindo assim a sua ligação com o país.

Saiba mais sobre o calendário do Rio Grande do Sul

O retorno do Rio Grande do Sul para a República do Brasil foi uma grande vitória para a sociedade e motivo de grande enriquecimento para a sociedade brasileira, o que ainda hoje é uma grande vitória para todos.

Por isso na atualidade a comemoração para o Brasil é, na verdade, o reconhecimento de que o retorno do Rio Grande do Sul foi uma das grandes vitórias alcançadas nesse período de grandes tribulações.

Nossa Senhora da Natividade

O dia 08 de setembro é lembrado por cristãos do mundo inteiro como o dia da solenidade de Nossa Senhora da Natividade, oportunidade em que as pessoas são levadas a refletir sobre as origens da Mãe de Jesus, especialmente quanto ao seu nascimento (Natividade de Nossa Senhora = Natal de Nossa Senhora).

Nossa Senhora da Natividade
Nossa Senhora da Natividade
Essa é uma festa tradicionalmente cristã, de origem no catolicismo romano, mas que na atualidade já não representa somente a fé de uma religião ou de uma nação: trata-se da devoção de pessoas em todos os lugares do mundo, das mais diversas denominações religiosas, que se interessam por celebrar com amor a memória de Nossa senhora da Natividade.

Vamos falar mais detalhadamente sobre o assunto agora!

Saiba também sobre Nossa Senhora de Aparecida

Não confunda a Natividade de Nossa Senhora com o Natal de Jesus

Quando falamos sobre Natal naturalmente nos remetemos ao nascimento de Jesus, naturalmente porque essa é a maior festa cristã que celebramos no decorrer de todo o ano.

Mas a Natividade de Nossa senhora não é o mesmo que o Natal de Jesus, posto que a primeira se relaciona diretamente com a pessoa da Virgem Maria e a segunda com a pessoa do Senhor Jesus. Ou seja, a festa de Nossa Senhora da Natividade possui caráter próprio e a melhor oportunidade de se render homenagens à Virgem Maria, que tem nesse mais um de seus inúmeros títulos atribuídos pelas pessoas e pela própria Igreja.

História da Natividade da Virgem Maria

A data de nascimento de Maria não está registrada na Bíblia, que é o livro utilizado para a fundamentação da fé cristã. Os primeiros escritos sobre sua vida vêm do "Protoevangelho, que foi escrito no século 2 dC. Neste, seu pai é dito ser Joaquim, um membro de uma das doze tribos de Israel e sua esposa é Ana.

Embora não tenha certeza de qual data foi decidida em primeiro lugar, a natividade de Maria não é surpreendentemente exatamente nove meses depois da festa de Nossa Senhora da Conceição (8 de dezembro), coisas que a Igreja Católica convencionou fazer no decorrer da história para dar ares mais reais aos personagens e suas histórias.

Esta festa teve origem em Jerusalém no século V como a festa da Basílica de Santa Ana, que se dizia ter sido construída sobre o campo de pastores que se dizia ter sido o lar dos pais de Maria.

No século VII, a festa de Nossa Senhora da Natividade estava sendo celebrada pelos bizantinos e foi levada a Roma durante o século VII pelos monges orientais. Seria mais alguns séculos antes de se tornar um dia de festa em toda a Europa Ocidental.

Outro importante dia de festa para Maria é o Dia da Assunção (15 de agosto), que marca a assunção de seu corpo ao céu. Este é visto como o dia de festa mais importante para Maria e observado em muitos países como feriado público.

Devido à proximidade das datas de Assunção e da Natividade de Maria, esta última não é tão amplamente celebrada como antes.

Uma devoção poderosíssima

Em termos de devoção, não podemos desconsiderar o quanto Nossa Senhora da Natividade é amada e querida pelas pessoas, tendo o privilégio de ter relembrado com muito amor o dia de seu nascimento.

Perceba que os cristãos normalmente celebram o dia em que os santos morreram para marcar o início de sua vida eterna. Isso é muito comum porque celebra-se aquele dia em que a alma bendita foi ao encontro do seu Senhor.

Mas há três exceções e essa regra - Jesus Cristo, a Virgem Maria e São João Batista. Seus nascimentos também são dias festivos, pois todos os três nasceram, de acordo com os ensinamentos da Igreja de Roma sem o Pecado Original.

Nossa Senhora da Natividade e o povo do Estado do Tocantins

Nossa Senhora da Natividade é uma santa amada por diversas pessoas em todo o mundo e em especial pela população tocantinense, já que ela é a grande padroeira de todo o Estado.

Por isso nos unimos a eles em oração nessa data comemorativa para pedir que essa santa padroeira abençoe o Estado do Tocantins e todo o Brasil, por esse povo que aprendeu a amá-la de todo o coração!

Veja também o Calendário Tocantins

Temporizador Online

Todo mundo precisa de um cronômetro em algum momento - e nunca há um por perto, especialmente quando mais precisamos! Não é mesmo?

Bem ... agora existe! O temporizador online, que está ajustado de acordo com a hora de Brasília e nunca vai te deixar na mão!



Colocamos à sua disposição um temporizador simples e rápido e um cronômetro de contagem regressiva sempre disponíveis quando você precisar, mesmo nas horas de maior dificuldade.

Como Utilizar o nosso Temporizador OnLine

Conforme dissemos, o nosso temporizador on line é um sistema de contagem regressiva com alarme para lhe ajudar a se manter sempre dentro do horário para cumprir com as suas obrigações.

Você pode escolher quanto tempo quer marcar e configurar o seu temporizador.

Configurando o Temporizador On Line
Para utilizá-lo você deverá apenas selecionar a duração do temporizador online, deixar ativado o som do alarme e clicar em “iniciar”. Pronto! Agora você só precisa se despreocupar e esperar que o tempo acabe e o temporizador desperte.

Abaixo você poderá acompanhar uma contagem regressiva, indicando quanto tempo já se passou.

Se acaso for necessário interromper a contagem você pode clicar em “Resetar”. Se quiser apenas pausar, clique em “parar”. No primeiro caso a contagem é interrompida e deverá ser reiniciada do início. Já no segundo caso a contagem poderá ser reiniciada do ponto onde parou.

Agora que você já sabe como funciona o nosso temporizador online, que tal começar a utilizá-lo? Faça testes, se divirta com ele e tire as conclusões de que poderá utilizá-lo com segurança quando tiver real necessidade.

Temporizador On Line

Horário de São Paulo

Todos os países possuem um horário oficial e este serve de base para toda a população, mesmo quando se trata de um país imenso como o Brasil, em que há diversos fusos horários regendo a vida das pessoas nas regiões do país.

UTC - 03:00 Hora de Brasília




Esses fusos se devem à imensidão do país, que possui estados em diversas zonas e trópicos, determinando que naquele local o horário seja outro.

Mas é fato que para se ter um horário fixo é necessária uma referência, o que temos no Brasil pelo horário de Brasília, que é o horário oficial em todo território brasileiro.

Horário de São Paulo pertence ao 2º fuso horário que abrange todos os Estados das Regiões Sul, Sudeste e Nordeste, além do Distrito Federal e o Estado de Goiás.
Horário de São Paulo
Imagem: Divulgação

Ver também: Hora Certa do Rio de Janeiro

Cronômetro Online Digital

Cronômetro Online Digital

Horário do Rio de Janeiro

Todos os países possuem um horário oficial e este serve de base para toda a população, mesmo quando se trata de um país imenso como o Brasil, em que há diversos fusos horários regendo a vida das pessoas nas regiões do país.

(UTC−3) Horário RJ Em relação ao Meridiano de Greenwich




Esses fusos se devem à imensidão do país, que possui estados em diversas zonas e trópicos, determinando que naquele local o horário seja outro.

Mas é fato que para se ter um horário fixo é necessária uma referência, o que temos no Brasil pelo horário Brasília, que é o horário oficial em todo território brasileiro.

Hora Certa Rio de janeiro - RJ pertence ao 2º fuso horário que abrange todos os Estados das Regiões Sul, Sudeste e Nordeste, além do Distrito Federal e o Estado de Goiás.

Hora Certa Rio de Janeiro
Horário do Rio de Janeiro

Ver também: Horário de São Paulo

Horário de Verão

Muita gente fala sobre o Horário de Verão e faz a ele críticas contundentes, afirmando que suas mudanças são ruins e apresentam poucos resultados para o país.

Mas ainda pairam muitas dúvidas a respeito do tema, como por exemplo o que é de fato o horário de verão, as mudanças que por ele são produzidas, quais estados participam da mudança e quais não participam, a quem cabe tomar decisões sobre ele, etc.

E é o que iremos esclarecer hoje para você, que está procurando mais informações a esse respeito.

Continue com a gente e descubra tudo sobre o assunto!

horario-de-verao-2021

O Horário de Verão foi instituído por força de Decreto Presidencial

Para início de conversa, queremos deixar claro que o Horário de Verão é instituído no Brasil por meio de Decreto Presidencial, o que inviabiliza que Estados e Municípios legislem sobre o assunto.

Um caso bastante recente foi visto no Estado de Goiás recentemente, quando a Assembleia Legislativa do Estado aprovou o fim do Horário de Verão no Estado e o então Governador Marconi Perillo o vetou, sob a argumentação de que não lhes era permitido legislar sobre um assunto tratado por Decreto Presidencial, sendo mais tarde o seu veto mantido pela mesma Assembleia Legislativa.

Veja também Horário de Brasília

Quando ele foi instituído pela primeira vez, em 1931, tinha abrangência sobre todo o território nacional, ou seja, todos os estados e municípios obrigatoriamente participavam das mudanças promovidas pelo decreto.

A partir de então houve grande alternância em relação ao tema, passando períodos em que ele era adotado e períodos em que não era. Também houveram alguns estudos que indicaram que alguns estados do Brsil não precisava estar incluídos no Decreto ou deveriam estar incluídos parcialmente.

Mas a partir de 1985 e até o ano de 2018 ele foi adotado de maneira ininterrupta, sendo que até 2008 um novo Decreto Presidencial era promulgado para que ele entrasse em vigor.

Em 2008 o então Presidente Lula assinou um Decreto que marcou a data de início e término do Horário de Verão anualmente, dispensando assim a necessidade de um novo decreto a cada ano.

O fim do Horário de Verão

No ano de 2019 o Presidente Jair Messias Bolsonaro editou um Decreto acabando com o mesmo, afirmando se tratar da vontade majoritária da população. Entretanto, ele deixou claro que a qualquer momento o Horário de Verão pode voltar caso haja necessidade comprovada dele.

Por que surgiu o Horário de Verão?

Engana-se quem pensa que o Horário de Verão foi inventado pelo governo brasileiro. A sua instituição se deu em 1784 por Benjamim Franklin, desde o início tendo como objetivo um processo de economia de recursos.

Nessa época a ideia era fazer com que a população consumisse menos as velas que eram utilizadas para iluminar as casas e as ruas a noite.

Quando adotado no Brasil a ideia era a economia de energia, visto que o pico de consumo se dava sempre no início da noite, quando a maioria das pessoas estava chegando do serviço.

Com o adiantamento dos relógios em uma hora esse problema era parcialmente resolvido, já que nesse caso as pessoas não iriam acender lâmpadas ou outros meios de iluminação, já que o dia estaria claro.

Críticas

Devido à mudança nos hábitos da população, muito se falou nos últimos anos que esse modelo de economia de energia já estava ultrapassado, posto que os hábitos de consumo das pessoas haviam mudado e se concentrado em outros horários do dia, o que foi um fator determinante para o Decreto que extinguiu, conforme vimos anteriormente.

Também haviam reclamações de dificuldades em lidar com as alterações no sistema biológico, insegurança (já que a maioria das pessoas passaram a sair de casa no “escuro” para ir para o trabalho) e outras coisas mais.

Estados que não participavam do Horário de Verão

Quando em plena atividade o Horário de Verão atingia todos os estados das regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Até um determinado tempo alguns municípios da Bahia também eram submetidos às alterações no Fuso Horário, mas depois foram excluídos.

Portanto, nenhum dos estados das regiões Norte e Nordeste participava, sequer parcialmente, das mudanças promovidas.

Páscoa

A Páscoa é um feriado cristão que celebra a crença na ressurreição de Jesus Cristo. No Novo Testamento da Bíblia, o evento é dito ter ocorrido três dias depois que Jesus foi crucificado pelos romanos e morreu em aproximadamente 30 dC.

O feriado conclui a “Paixão de Cristo”, uma série de eventos e feriados que começa com a Quaresma - um período de 40 dias de jejum, oração e sacrifício - e termina com a Semana Santa, que inclui a quinta-feira santa (celebração da última ceia de Jesus com seus 12 apóstolos), sexta-feira santa (na qual se observa a crucificação de Jesus); Domingo de Páscoa.

Domingo de Páscoa
Domingo de Páscoa
Apesar de um feriado de alto significado religioso na fé cristã, muitas tradições associadas à Páscoa remontam aos tempos pagãos pré-cristãos.

Quando é a Páscoa?

A Páscoa não tem uma data específica para acontecer, sendo sua ocorrência em datas diferentes ano após ano.

O Domingo de Páscoa e as celebrações relacionadas, como a Quarta-Feira de Cinzas e o Domingo de Ramos, são consideradas “festas móveis”, embora no cristianismo ocidental , que segue o calendário gregoriano, a Páscoa caia em um domingo entre 22 de março e 25 de abril.

No cristianismo ortodoxo oriental, que adere ao calendário juliano, a Páscoa cai em um domingo entre 4 de abril e 8 de maio de cada ano.

Em algumas denominações do cristianismo protestante, o domingo de Páscoa marca o início do período pascal ou a época da Páscoa. O tempo de Páscoa termina no 50º dia após a Páscoa, que é conhecido como Domingo de Pentecostes.

Nos ramos ortodoxos orientais do cristianismo, o domingo de Páscoa serve como o início da temporada da Páscoa, que termina 40 dias depois com o feriado conhecido como a festa da Ascensão do Senhor.

Apesar de seu significado como um dia sagrado cristão, muitas das tradições e símbolos que desempenham um papel fundamental nas observâncias da Páscoa realmente têm raízes nas celebrações pagãs - particularmente a deusa pagã Eostre (ou Ostara), a antiga deusa germânica da primavera - e na Feriado judaico da Páscoa.

Tradição religiosa da Páscoa

A ressurreição de Jesus, conforme descrito no Novo Testamento da Bíblia é essencialmente o fundamento sobre o qual as religiões cristãs são construídas. Portanto, a Páscoa é uma data muito significativa no calendário cristão.

De acordo com o Novo Testamento, Jesus foi preso pelas autoridades romanas, essencialmente porque ele alegou ser o “Filho de Deus”, embora os historiadores questionem esse motivo, com alguns dizendo que os romanos podem tê-lo visto como uma ameaça ao império.

Ele foi condenado à morte por Pôncio Pilatos, prefeito romano na província da Judéia de 26 a 36 dC A morte de Jesus pela crucificação, marcada pelo feriado cristão da Sexta-Feira Santa (sexta-feira antes da Páscoa), e subseqüente ressurreição três dias depois, pelos autores dos evangelhos, para provar que ele era o filho vivo de Deus.

De várias maneiras, todos os quatro evangelhos do Novo Testamento (Mateus, Marcos, Lucas e João) afirmam que aqueles que creem na morte e ressurreição de Jesus recebem “o dom da vida eterna”, significando que os que têm fé serão bem-vindo ao “Reino dos Céus” após a sua morte terrena.

Tradições da Páscoa

No cristianismo ocidental, incluindo o catolicismo romano e as denominações protestantes, o período anterior à Páscoa tem um significado especial.

Este período de jejum e penitência é chamado Quaresma. Começa na quarta-feira de cinzas e dura 40 dias (não incluindo os domingos).

O domingo imediatamente anterior à Páscoa é chamado Domingo de Ramos e comemora a chegada de Jesus a Jerusalém, quando os seguidores colocaram folhas de palmeira na estrada para cumprimentá-lo.

A Páscoa é realmente uma festa emocionante e você pode utilizá-la como forma de se aproximar ainda mais dos ensinamentos de Jesus, que é o grande protagonista de toda essa festividade.

Como Surgiu a Comemoração do dia da Páscoa

A origem desse dia remonta aos preceitos bíblicos do Antigo Testamento, que indicam que o povo hebreu, após vários anos de escravidão no Egito, foram enfim libertados pelo seu Deus e passaram a comemorar a Páscoa como o dia de sua libertação.

O termo quer dizer “Passagem” e indica duas vertentes: uma material e outra espiritual: a passagem do Mar Vermelho a pé enxuto (um milagre operado por Deus em sua fuga dos exército do faraó) e a passagem para uma vida nova.

A Ressurreição de Jesus

Data celebrada todos os anos no calendário civil e também no calendário religioso (católico), a Páscoa possui todo um simbolismo para a sociedade e para os cristãos em especial: é o tempo de confraternização para os familiares e também o dia de comemorar a ressurreição de Jesus (para os cristãos), para quem crê que Ele não está morto, mas ressuscitou e vive e reina para sempre!

Já no Novo Testamento, a Bíblia narra que houve um evento que marcou a história da humanidade e que, segundo o Cristianismo, mereceu trazer um novo significado à Páscoa: a ressurreição de Jesus Cristo.

Tratada pelos cristãos como o evento que trouxe a libertação para toda a humanidade dos seus pecados, ao Cristianismo pareceu relevante dar ênfase a isso frente a qualquer outra comemoração.

O questionamento que se fez foi a respeito do que seria mais relevante: celebrar a saída do Egito ou a salvação da humanidade. E por fim tomou-se a decisão por celebrar a salvação.

A celebração da Páscoa é uma das heranças mais bonitas do Cristianismo e tem a missão de nos fazer crer que a nossa vida pode passar por transformações e que podemos ser pessoas novas. Para os cristãos católicos trata-se de uma celebração de cunho obrigatório.

Para os que não são católicos, ao menos o espírito pascal pode chamar a atenção, pois trata-se fundamentalmente de trazer a tona aquilo que o ser humano tem de melhor, que é a sua capacidade de sublimação.